A palavra sustentabilidade vem sido muito falada nos últimos anos. Afinal, é uma forma de utilizar a natureza para atender as necessidades da sociedade, porém preservando o meio ambiente e sem comprometer as gerações futuras. O famoso desenvolvimento sustentável.

   Algumas marcas de roupa estão se preocupando com essa questão. Você sabia que são necessários cerca de 10 mil litros de água para a fabricação de uma única calça jeans?

   A moda consciente, além de produtos eco-friendly, busca peças que contem histórias por trás de sua criação. Além disso, são roupas feita para durar a vida toda.

Não deixe de ler:
    • 6 aplicativos de celular para ter uma renda extra.
    • Como customizar a roupa com patches para imprimir.

3 marcas brasileiras de roupas conscientes
(Fonte: Pinterest)

Marcas brasileiras de roupas conscientes.

Alle Röcke:

   A marca está atenta em firmar parceria com fornecedores que estejam engajados em práticas sustentáveis, como reciclagem, economia de água e energia, entre outros. No ateliê, a prática de descarte zero e reaproveitamento de sobras de produção é levada a sério. Mas as irmãs sentiram que precisavam fazer mais: 5% da venda é revertida para a ChildFund Brasil, organização internacional que atua no desenvolvimento de crianças em situação de vulnerabilidade.

Insecta Shoes:

   A Giovana Calandriello passou um ano sabático entre Índia, Nepal, Tailândia Indonésia e Vietnã. Conheceu culturas, pessoas, cores, materiais, técnicas artesanais e a si mesma. Dessa transformação nasceu a Ecletnica, que traz para o Brasil roupas e acessórios étnicos da Ásia. Todos os itens desenvolvidos ou garimpados pela Ecletnica são feitos à mão e carregam histórias únicas. As bolsas indianas em patchwork são retalhos de vestimentas tradicionais antigas. Famílias de artesãos aplicam técnicas tradicionais próprias, passadas geração após geração. Cada peça carrega a história de uma cultura, de uma família, de um tecido, de uma pessoa. Venha conhecer seu universo.

Mig Jeans:

   A Mig faz moda sem gênero criando a partir dos defeitos de peças em desuso. Por meio de garimpos, doações e até com as sobras da própria produção, a marca produz toda sua coleção com 100% do material reaproveitado. A mão de obra é artesanal, engajada em fomentar a comunidade local. E o estilo, atemporal, único, sem amarras a estações ou modismos. Cada peça, uma história. água utilizada na lavagem do tecido é reaproveitada. Os botões e aviamentos, de segunda mão. As etiquetas, retalhos da produção. E até a embalagem é reaproveitada de usos anteriores.

The Concept, plataforma que reune marcas conscientes.

   A TheConcept é uma plataforma de venda que promove o encontro entre marcas e pessoas que querem praticar um consumo consciente. Todas as marcas presentes no site consideram o respeito ao meio ambiente, a não exploração animal, a priorização do natural ou do reuso, a consciência socioeconômica e a valorização dos saberes tradicionais.

   São várias opções de produtos: moda feminina e masculina, acessórios, calçados e assim vai. Além disso, para compras realizadas na cidade de São Paulo, eles possibilitam a entrega sustentáveis. Nela, as entregas são feitas através de bicicletas ou scooters elétricas.

Não deixe de ler:
    • 6 lugares em São Paulo que oferecem comida gigante.
    • Como e quando usar vestido longo.

   A moda consciente é realidade no Brasil, e uma das formas que podemos ajudar é divulgando essas marcas que querem fazer diferente. Vocês conheciam alguma delas?

Apaixonada por praia e Sol. Tentando aprender a surfar faz uns 3 anos. Sonha em viajar o mundo todo trabalhando com o blog.
Talvez você goste desses aqui também

  1. Amanda Hillerman 07/06/2017

    Muito bacana, Bá! Eu já conhecia algumas delas e isso é uma coisa que eu tenho começado a pensar, ainda mais depois de me informar mais sobre o processo de fabricação das fast fashion.
    Beijos!!
    Blog Amanda Hillerman

    • Ba Nassar respondeu Amanda Hillerman 14/06/2017

      Entãaao eu também, principalmente essa questão de trabalho escravo, meio ambiente e os animais. É complicado demais né? Temos que fazer nossa parte ):