Minha experiência: inglês no exterior

   Eu já fiz dois cursos de inglês no exterior com duração de um mês cada, um para Brighton (Inglaterra) e outro para Havaí (EUA), e posso dizer que sim, é possível aprender muito em apenas um mês fora, na verdade isso vai depender muito mais de você do que da escola ou o tempo que você permanece no país. Muitas pessoas me questionavam na época “apenas um mês, mas da para aprender algo?”, temos essa impressão que não é tempo suficiente para aprender inglês, mas por quê?

   Algumas pesquisas comprovam que são poucos os brasileiros que fazem curso no exterior e melhoram seu nível de inglês. Claro que, cada pessoa tem seu tempo, um mês pode ser sim um período curto para algumas pessoas, principalmente para as que não sabem nada de inglês, mas quando estamos no intercâmbio é fácil entender o porque o nível muitas vezes não melhora. Existe muito brasileiro em qualquer lugar do mundo, conheci dono de balada brasileiro, garçom de restaurante, secretárias e até mesmo a dona da loja de surf onde alugava minha prancha no Havaí. E o problema está ai, conheci várias pessoas que estavam junto comigo e não desenvolveram nem um pouco o inglês deles, pois além de faltarem muitas vezes na aula, fora delas eles só andavam com brasileiros e falavam apenas português.

Minha experiência: inglês no exterior

   Muitas dessas pessoas estão jogando dinheiro fora e seria melhor ter ido fazer uma viagem conhecendo a cidade do que o curso em si que costuma ser caro. Vou dar algumas dicas para quem pretende fazer um intercâmbio de curto tempo e quer aproveitar ao máximo e ainda treinar o seu inglês.

1. Evite andar com brasileiros.

   Essa é a dica mais importante e na minha opinião é a mais difícil de se seguir, eu mesma posso dizer que não consegui. Nos dois intercâmbios que eu fiz, os brasileiros dominavam e você vai acabar encontrando em todo o lugar como já falei, então se você não tomar cuidado, você vai praticar o seu inglês somente na aula.
   Acaba sendo um pouco natural os brasileiros se aproximarem com os outros brasileiros, mas tente fazer com que no seu grupo tenha outras pessoas de outras nacionalidades, porque vocês vão acabar sendo obrigados a falar inglês para os outros não ficarem excluídos (era o que eu fazia).

  
2. Se no seu grupo só tiver brasileiros, combinem de falar em inglês.

   Mesmo evitando, fiquei mais próxima de quatro brasileiras na Inglaterra e acontecia da gente ficar sozinha, sem algum gringo na roda, com isso o português acabava sendo a língua que conversávamos. Como tinham dias que íamos sozinhas para Londres, combinávamos que era permito falar somente em inglês, claro que não funcionava o tempo todo, mas tentávamos pelo menos.

Minha experiência: inglês no exterior

3. Não tenha medo de errar.

   Confesso que eu era uma pessoa muito tímida e morria de vergonha de falar alguma bobagem e todos rirem, mas isso mudou no intercâmbio. Eu me tornei uma pessoa totalmente diferente, era super falante, errei muito na aula e o professor sempre me corrigia e isso foi muito bom para o meu aprendizado, tem palavras que lembro até hoje do professor me corrigindo.
   No meu segundo intercâmbio para o Havaí, meu inglês já estava muito melhor e com isso muitos brasileiros que tinham vergonha me pediam para que eu reservasse o hotel, que eu ligasse para a empresa de paraquedas porque tinham medo de não entender. Não fique, se preocupando como vão se virar e se vão entender o que vocês está querendo dizer, porque sim, vão! Sempre se dá um jeito, conheci pessoas que não sabiam praticamente nada de inglês e se viraram bem.

  
4. Opte por casa de família para praticar mais o inglês.

   Eu fiquei nos dois, casa de família e residência estudantil. E é claro que se você for maior de 18 anos a residência estudantil é animal, tem as festas e além disso você tem sua independência. E se você for focado de falar apenas inglês não vejo problema, até porque vão ter pessoas de outras nacionalidade dividindo os quartos e eu acho mil vezes mais legal. Mas para quem realmente quer aprender, a casa de família é ótimo, porque eu conversava coisa do dia-a-dia, sobre minha vida no Brasil.
   Na casa que eu fiquei tinham duas crianças uma com 5 anos e outra com 7, e por incrível que pareça isso me ajudou muito a treinar a pronúncia, porque prestava muito atenção para conseguir entender o que elas falavam.

  
5. O país não interfere no nível de aprendizado.

   Quando digo que estudei inglês no Havaí todos pensam que não aprendi nada e fiquei na praia todos os dias. Mas a verdade é que aprendi mais lá do que na Inglaterra e o motivo foi justamente porque eu estava mais dedicada, fui com uma cabeça mais focada aos estudos e isso ajudou muito.
   E confesso que a escola era mais rígida também, no final tinha uma prova que parecia vestibular e se seu lápis caísse no chão você tinha que esperar algum monitor pega-lo, pois se não era considerado cola. Mas como eu disse, vai depender muito de vocês, conheci brasileiros que repetiram o nível, porque não estavam querendo realmente aprender.

Minha experiência: inglês no exterior

   Espero que as dicas tenham ajudado!! E para quem tiver curiosidade, a primeira e a segunda foto foram tiradas no Havaí e a terceira e a quarta em Brighton.

Apaixonada por praia e Sol. Tentando aprender a surfar faz uns 3 anos. Sonha em viajar o mundo todo trabalhando com o blog.

  1. Wanila 12/05/2015

    Estudei inglês por muitos anos aqui no Brasil mesmo e tenho uma fluência boa, mas tenho muita vontade de fazer um intercâmbio, mesmo que curto e concordo com o que você falou, o que realmente importa é a dedicação!

    • Ba Almeida respondeu Wanila 15/05/2015

      Um intercâmbio ajuda MUITO, sem contar que é uma experiência maravilhosa de conhecer novas pessoas, vale MUITO a pena!
      Wanila, não estou conseguindo acessar seu blog ):

  2. Pam Machado 12/05/2015

    Ah, ando querendo muito viajar para praticar! Fiz 8 anos de curso e fui professora durante 4 ou 5 anos. Mas nunca viajei para o exterior, queria muuuito!

    • Ba Almeida respondeu Pam Machado 15/05/2015

      Nossa, você fez muito tempo de curso, sem dúvida alguma vai se virar super bem quando viajar para o exterior

  3. Julia 12/05/2015

    Barbara, adorei seu blog… layout lindão!
    Super dicas ♥
    Tive a oportunidade de ir pra Irlanda durante um ano… mas, acabei desistindo.
    Ainda tenho muita vontade de investir em um intercâmbio, mas apenas de 1 mês, e que legal que há um retorno… muita gente fala que não, mas não vejo assim.
    Beiju!
    Ps.: Tem sorteio no meu blog… você está mais que convidada a participar!
    SORTEIO | TRIO DE PERFUMES VICTORIA’S SECRET | BLOG SIM, 27!

    • Ba Almeida respondeu Julia 15/05/2015

      Obrigada fooofa.
      Nossa, e quanto tempo você acabou ficando?
      Eu amei os meus itercâmbios, teria feito mais se não tivesse começado a trabalhar haha

  4. Bia Martins 12/05/2015

    Sempre quis fazer intercâmbio quando adolescente! Suas experiências devem ter sido ótimas! Já conheci pessoas que fizeram e não aprenderam muito justamemte por andarem com brasileiros e por terem vergonha de arriscar. Eu fiz inglês por 6 anos mas depois de um tempo sem falar percebi que fiquei enferrujada na hora de falar, a pronúncia não saía como eu imaginava na cabeça. Depois que comecei a viajar pra fora voltou ao normal, por isso acho muito legal viajar, conhecer gente nova que fale outras línguas. Além disso você ainda tem uma super experiência cultural.

    Beijo!

    http://www.belatriz.info

    • Ba Almeida respondeu Bia Martins 15/05/2015

      Sim, ficar muito tempo sem flar inglês enferruja mesmo, eu estou sem falar há um ano e já sinto que dei uma piorada hahaha. Conhecer gente nova, com outras culturas, é algo maravilhoso!!! Sem contar que conheci brasileiras que sou amiga até hoje, é muito bom.

  5. Cinthya 13/05/2015

    Barbara, to fazendo curso de inglês nessa escolas de 18 meses, olha eu tive aula de inglês na escola e fiz escola pública e entrei a primeira vez agora depois de “velha”, com 23 anos, olha digo eu aprendi bastante para quem não sabia nada, e acredito da mesma forma não irei aprender 100% aqui, adorei as dicas de verdade, porque eu queria fazer um curso de inglês aqui rápido que não fizesse intercâmbio crua sem nada de inglês e adorei em saber em relação casa de familia essa grande duvida de quando fazer ficar ou não em casa de familia.
    Beijos
    Cih | Nem Rock Nem Roll

    • Ba Almeida respondeu Cinthya 15/05/2015

      Não conheço essas escolar de 18 meses, elas são boas? Mas vale muito a pena aprender fora do brasil, estar em contato com uma cultura diferente, e falar ingl6es o tempo todo é muito diferente do que só entrar na aula e falar durante 2 horas. Foi uma experiência incrível, indico a todos.

  6. Dud's 13/05/2015

    Ótimas dicas. Acho que a principal é justamente isto de procurar só falar na lingua do país, mesmo com brasileiros! Lindas as fotos <3

    • Ba Almeida respondeu Dud's 15/05/2015

      Que bom que gostou das dicas fofa 😉

  7. Cecília Maria 13/05/2015

    Em janeiro fui para Londres e meu curso foi bem menor que o seu, apenas duas semanas. Todos diziam que eu estava só gastando dinheiro, que quinze dias não ia melhorar em nada o meu inglês. Não fez maravilhas, óbvio, mas meu ouvido voltou bem mais apurado, sem falar da confiança que eu adquiri. Porque tem muito isso do medo de errar, como você bem falou. E por mais que eu tenha passado pouco tempo e andado com uma brasileira, não tem como fugir da prática e por mais que a gente erre, sempre acaba aprendendo alguma coisa. Na escola, inclusive, a professora solicitou que me avançassem no curso porque eu parecia entendiada na turma em que estava.
    Paguei por residencia estudantil, mas acabei ficando em casa de família, o que pra mim foi excelente, porque devido ao curto tempo de estadia, esse tipo de ambiente me proporcionou uma maior interação não só com a língua, mas com os costumes locais.
    Foi pouco tempo, mas bastante proveitoso. Pretendo repetir a dose em breve, porque os ganhos sempre são enormes, independente de país ou duração.
    Beijo

    • Ba Almeida respondeu Cecília Maria 15/05/2015

      Nossa, não sabia da existência de cursos de dois mêses, claro que o tempo é curto, mas tenho certeza que quebra o galho, ainda mais se você se dedicar. E é verdade, a confiança que adquire é ótimo, poruqe eu me achava péssima em inglês e fazer essas viagens me trouxe confiança demais.
      Sim, casa de família eu acho ótimo para aprender melhor o inglês, experimentar a comida e os costumes locais.
      Sem dúvida você deve ter aproveitado muito, eu acho uma experiência totalmente válida!

  8. Laryssa 13/05/2015

    oi baárbara tudo bem flor ?
    que bacana sua experiência de aprender mt em um mês , imagino que sua dedicação tb foi forte viu beijinhos s2
    Sorria Princesinha

    • Ba Almeida respondeu Laryssa 15/05/2015

      Lary, então no primeiro não foi e consegui aprender bastante até, mas claro que no segundo que fui focada, aprendi BEM mais.
      Valeu muito a pena!!

  9. Juliana Motta 13/05/2015

    Que dicas incriiiveis! Adorei tudoo, de verdade! *-* Quero muito fazer intercambio, acho incrivel, sério!
    Beijo beeeijo ! :*

    http://www.agorasoulinda.com#JáPensouEmFazerDanoninhoEm asa? VEM!<3

    • Ba Almeida respondeu Juliana Motta 15/05/2015

      Intercâmbio é demais, você aprende a se virar, e confiar mais em você.
      Confesso que aqui em SP não ando muito de ônibus, consido fazer tudo com metro e carro, mas lá fora era parte do meu dia a dia, e me virei mesmo não sabendo, e o melhor que foi em outra língua, pedir informação, resolver os problemas da bagagem e assim vai.

  10. Renata 13/05/2015

    Concordo com todas suas dicas!
    Eu tive um mês de experiência assim no Canadá.
    Mas o problema que na casa de familia que fiquei tinha mais uma brasileira!
    Ai foi difícil o aprendizado,! heheheh beijinhos, Rê
    http://blogsonhosdeverao.com.br

    • Ba Almeida respondeu Renata 15/05/2015

      Mentira, é muito raro colocarem em uma casa de família, ou até mesmo dividir o quartona residência estudantil com outra pessoa da mesma nacionalidade.
      Realmente dificulta, porque eu só falaria português haha

  11. Débora Martins 14/05/2015

    Entrei pelo seu blog pela primeira vez hoje e dei de cara com esse post e no fim do ano estou indo fazer um assim pro canadá então já sabe, né? <33 vocês podia fazer mais posts falando dos intercâmbios! oq acha?

    • Ba Almeida respondeu Débora Martins 19/05/2015

      Vou fazer mais posts sim fofa, hoje mesmo sai um sobre o assunto.

  12. Gostei muito desse post, muito importante e de grande conteúdo a todos.
    Preciso URGENTE aprender inglês, e uma viagem dessa seria muito válido hahahahha
    Foi um incentivo a mim, obrigado pelo post e parabéns!

    • Ba Almeida respondeu Estevão Rockfeller 21/05/2015

      Faça, é uma experiência incrível, queria voltar no tempo e ter feito mais!

  13. […] e só quem foi sabe o quanto ele ajuda na vida. Já contei aqui no blog um pouco da minha experiência no exterior e dei 5 dicas para conseguir melhorar seu nível de inglês em apenas um […]

  14. […] amoores, eu já falei aqui no blog sobre a minha experiência no exterior. Inclusive já dei algumas dicas para quem está pretendendo fazer intercâmbio, como por exemplo, […]

  15. Luana 16/04/2017

    Bárbara, o que vc acha de fazer um vídeo falando das suas experiências de intercâmbio comparando os dois lugares que você foi?
    Também pretendo fazer intercâmbio de um mês e minha maior dúvida é quanto ao destino, pois além do custo envolve coisas como sotaque e possibilidade de viagens aos finais de semana. Seria legal ver sobre a sua experiência 🙂

  16. Beatriz 07/08/2017

    Poxa, matéria muito legal! Estou de novo com essa ideia (de fazer intercâmbio) e você resumiu muita coisa numa linguagem fácil e gostosa. Parabéns!

    • Ba Nassar respondeu Beatriz 08/08/2017

      Fico feliz que tenha gostado Bia. Fiz dois intercâmbios de um mês cada, e fui uma experiência MARAVILHOSA. Indico para todos!

  17. Thais 24/10/2017

    Olá Bárbara. Seu posts estão sendo bastante úteis para mim.
    Eu estou planejando um intercambio de 1 mês em Brighton e estou em dúvida sobre qual escola escolher (já cotei Eurocentres, St. Giles e EC. Em qual você estudou? Conhece alguma dessas que eu citei?), e sobre a carga horário. Já cotei curso de 3hrs diárias e de 6hrs diárias, mas realmente não sei qual escolher. Por um lado eu quero melhorar muito o meu inglês (meu nível atual é o intermediário, mas vou estudar até o dia da viagem), e por outro lado eu quero aproveitar minha viagem, fazer passeios, ir a Londres etc, pois é minha primeira viagem ao exterior. Tenho receio de ficar muito presa ao curso (e acabar sendo massante e desnecessário) e tenho receio de não aprender.
    Eu ficaria muito grata se você me desse a sua opinião sobre essas coisas. Obrigada!

    • Ba Nassar respondeu Thais 28/10/2017

      Oi Tha, desculpe a demora, estou viajando e dependo da internet do hotel.
      Eu fiz pela Eurocentres, E ME APAIXONEI! Os meus professores eram SUPER simpáticos e prestativos.
      Quando eu estudei tinham 3 tipos de horários:
      * 3 horas por dia;
      * 3 dias com 3 horas de aula, e 2 dias com 6 horas;
      * 6 horas por dia;

      Eu acabei pegando a segunda a opção, mas confesso que nos dias que eu tinha que ficar até tarde eu ficava triste (apesar da aula ser super divertida). Poucas pessoas ficavam até mais tarde.

      Conheci pessoas INCRÍVEIS, e Brighton foi uma experiência INCRÍVEL! Caso você curta balada, saiba que você está indo para o lugar certo! Foi SENSACIONAL. Outro conselho, como você só irá ficar um mês, por experiência que vi das outras pessoas eu aconselho a ficar na residência estudantil. Primeiro porque tem pessoas do mundo todo, ou seja, você irá praticar o inglês. E segundo porque nem sempre você pode ficar em uma família legal, de todas as pessoas mais próximas eu fui uma das poucas que ficaram em uma família que era tão liberal, e como é pouco tempo, nem vale a pena tentar trocar de família sabe?

      Caso queira, podemos conversar mais pelo Facebook, tem a fanpage do blog que estou sempre respondendo! Acho que fica mais fácil!